Arquivo da tag: Revolução dos Baldinhos

Cepagro participa do Seminário “Desafios Socioambientais Contemporâneos” em São Paulo

O coordenador de Agricultura Urbana do Cepagro, Júlio César Maestri, participa nesta 5ª e 6ª (1 e 2 de junho) do seminário Diálogos sobre os Desafios Socioambientais Contemporâneos, promovido pelo SESC Vila Mariana, em São Paulo. Júlio abordará a experiência do Cepagro em Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana no painel  Novos Arranjos Econômicos-Tecnológicos.

O seminário propõe abordar o avanço da crise ambiental planetária a partir de uma dupla perspectiva: a compreensão do problemático contexto atual e a apresentação de caminhos teóricos e práticos que já estão em curso para minorar os impactos ambientais e construir um planeta mais sustentável e equânime. Para tanto, especialistas de várias áreas do conhecimento tratarão do tema, que é por definição transdisciplinar, ao traçar um panorama do contexto socioambiental contemporâneo, discutir a natureza como bem público e a apropriação do patrimônio ambiental como mercadoria, o caráter econômico e tecnológico envolvidos nas discussões sobre sustentabilidade, e esforços realizados para promover a educação ambiental e a influência nas políticas públicas.
(informações do SESC/SP)

Cepagro e Revolução dos Baldinhos são homenageados na ALESC

A homenagem, feita pelo gabinete do Deputado  Padre Pedro (PT-SC), aconteceu na última 2ª feira (6 de março), durante o lançamento da Campanha da Fraternidade 2017 na Assembléia Legislativa de Santa Catarina. A agrônoma Aline Assis, da equipe técnica do Cepagro e articuladora da campanha de financiamento coletivo da Revolução dos Baldinhos, representou o projeto para receber a homenagem, concedida também a movimentos como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), MMC (Movimento das Mulheres Camponesas) e Movimento pela Ponta do Coral 100% Pública. Ao final da sessão, o deputado Padre Pedro reforçou o chamado para doações para a Revolução, que podem ser feitas no site juntos.com.vc/baldinhos até o dia 17 de março.

Com o tema Biomas Brasileiros e Defesa da Vida, a Campanha da Fraternidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) deste ano “coloca em pauta a temática ambiental e seus impactos sociais”, segundo Pe. Pedro. Ressaltando o princípio da “ecologia integral” colocado na Encíclica Laudato Si, publicada pelo Papa Francisco em novembro de 2015, o deputado afirma que “não podemos mais pensar na natureza como algo separado”. Como atitudes importantes para preservação do meio ambiente e, consequentemente, da espécie humana, Pe. Pedro apontou a necessidade de mudar nosso modelo agrícola para uma base agroecológica. Para isso, aumentar o acesso a crédito para fomentar tecnologias de produção e estratégias de comercialização de alimentos agroecológicos é fundamental.  A mesma crítica ao modelo de agricultura químico dependente ainda hegemônico – e por isso chamado convencional – foi feita pelo professor Dr. Ademir Reis (Biologia – UFSC). “É possível produzir sem usar tanto veneno, preservando nossas águas também”.

Revolução dos Baldinhos lança campanha de financiamento coletivo

revolucao

Referência nacional em gestão comunitária de resíduos orgânicos e agricultura urbana, a Revolução dos Baldinhos busca agora o apoio da população em geral para manter suas atividades em 2017. Com a finalização dos projetos que a financiavam e ainda esperando receber uma remuneração do Poder Público pelos serviços ambientais prestados, a Revolução – que mensalmente recicla toneladas de resíduos orgânicos na Comunidade Monte Cristo, em Florianópolis – lançou na última 2ª feira, 16 de janeiro, uma campanha de financiamento coletivo para arrecadar 60 mil reais, necessários para subsidiar as atividades do grupo comunitário durante pelo menos 6 meses. A campanha, disponível no link juntos.com.vc/baldinhos, fica no ar até o dia 17 de março.

O processo de cadastro e doação é fácil e prático, dura menos de 10 minutos. A equipe do Cepagro está toda mobilizada para colaborar na iniciativa, e conta com o apoio de todxs amigxs, parceirxs e entusiastas da Revolução dos Baldinhos para não deixar o projeto morrer. Que tal começar 2017 contribuindo com a agricultura urbana?

Saiba mais sobre a campanha neste vídeo. A REVOLUÇÃO AGRADECE!

Revolução dos Baldinhos e Cepagro reaplicam a Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos no RN

baixa1
A tecnologia social da Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana da Revolução dos Baldinhos começou a ser reaplicada em empreendimentos imobiliários do Programa Minha Casa, Minha Vida.  Através  da articulação com a Associação de Apoio às Comunidades do Campo do RN (AACC), o técnico do Cepagro Júlio Maestri e a coordenadora comunitária da Revolução, Ana Karolina da Conceição, estiveram em Macaíba, no Rio Grande do Norte, nos dias 5 e 6 de dezembro para iniciar a capacitação da comunidade local, com a participação de cerca de 35 moradores e mais 15 crianças. “A formação teve como objetivo disseminar a gestão local e fortalecer a comunidade através de uma mudança de olhar aos nossos resíduos orgânicos, que podem virar a base para uma agricultura agroecológica”, explica Júlio Maestri. Além da comunidade e a equipe da AACC, estiveram presentes na formação o Grupo Mandala de Permacultura/UFRN e representantes das Secretarias de Agricultura, Habitação, Trabalho e Assistência Social do município.
baixa6O Residencial Campinas, que receberá a tecnologia social certificada pela Fundação Banco do Brasil, possui 403 habitações. Durante as oficinas, Júlio e Ana Karolina compartilharam o passo a passo da Revolução, os principais desafios e as maiores motivações e o método UFSC de compostagem.
baixa13
Segundo Maestri, a abordagem dos encontros buscou estimular a participação coletiva, “respeitando a experiência de participante e motivando ao máximo o empoderamento do pessoal para, a partir destas inspirações, iniciarmos um envolvimento comunitário para reciclagem orgânica, hortas e trocas de saberes”.
baixa7
baixa9
Também foram visitadas famílias que já têm hortas em casa e foram convidadas a apresentar as variedades para todo o grupo. Um dos resultados da oficina foi a elaboração de um planejamento coletivo, em que o grupo se denominou Revolução dos Baldinhos – Residencial Campinas – Macaíba/RN.
baixa1Neste início da reaplicação, houve a formação do Grupo Comunitário, que integrou 18 famílias. Esses multiplicadores já iniciaram com a separação dos seus resíduos orgânicos nos baldinhos. O próximo passo será a sensibilização de novas famílias, a implantação de PEVs (Pontos de Entrega Voluntária) no empreendimento e a elaboração de hortas comunitárias e residenciais, de acordo com o ritmo dos envolvidos. Também foram integrados grupo de permacultura e algumas secretarias, para que a iniciativa possa se consolidar e refletir estas questões no município e entorno.
* com informações de Júlio Maestri e fotos de Juliano Duend’Jah

Revolução dos Baldinhos segue como exemplo de gestão de resíduos orgânicos

No artigo publicado na Revista Ciência e Cultura, intitulado “Fechando o ciclo dos resíduos orgânicos: compostagem inserida na vida urbana”, os agrônomos Marcos José de Abreu e Thais Menina de Siqueira afirmam: “De fato, a Revolução dos Baldinhos também nos ensina isto: orientada com base em envolvimento comunitário, a gestão descentralizada de resíduos orgânicos pode ser utilizada como ferramenta para promover saneamento, saúde pública, agricultura urbana e capital social em ambientes urbanos vulneráveis”.

Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

 

Compostagem chega ao Jardim Botânico de Florianópolis com apoio do Cepagro

13_10_2016_18_23_eab682b41a54deea6b764d52e3e8ab69-1

* com informações da Prefeitura Municipal de Florianópolis e Adriana Baldissarelli (Comcap)

O Cepagro coordenou, a convite da COMCAP, a primeira oficina de Compostagem no Jardim Botânico de Florianópolis na última quinta feira, 13 de outubro. O agrônomo Júlio Maestri, da equipe técnica do Cepagro, facilitou a capacitação em reciclagem de resíduos orgânicos para os funcionários da Comcap e técnicos convidados da Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental e Fatma. De acordo com a Comcap, “a ideia é multiplicar na cidade experiências de agricultura urbana para garantir a política pública de desvio dos resíduos orgânicos do aterro sanitário”.

Saiba mais neste link e também no vídeo abaixo:

Mara Gama, colunista da Folha de S. Paulo, também destacou a experiência do Cepagro em gestão comunitária de resíduos orgânicos pelo trabalho no Jardim Botânico. Veja a matéria aqui.

 

 

Rede de Agricultura Urbana sai fortalecida do II Encontro Municipal

Quase 200 pessoas participaram do II Encontro Municipal de Agricultura Urbana no último sábado, 25 de junho. O evento aconteceu no Departamento da Arquitetura da UFSC, com apoio do Cepagro, Ministério da Agricultura, Quintais de Floripa  e Prefeitura Municipal de Florianópolis. Dentre os principais temas discutidos, a Rede defende em Carta a manutenção de áreas rurais na Ilha de Santa Catarina pelo Plano Diretor. Como afirmou o agricultor urbano Anderson Adalício Silva em uma das mesas de debate do Encontro, “Dá pra ter agricultura na Ilha. Não em grande escala, mas para viver e comer bem”.

Fotos: Carú Dionísio e Erika Sagae

????????????????????????????????????

Da construção civil para a agroecologia urbana. Anderson Silva produz hortaliças orgânicas no bairro Ratones e as comercializa na Feira Viva Cidade e em restaurantes de Florianópolis. Com as mudanças previstas no Plano Diretor que podem restringir as áreas rurais dentro da Ilha de Santa Catarina, a atividade de Anderson pode ser afetada. Ele compartilhou esta vivência durante o painel sobre Certificação de Produção Orgânica e Agroecológica, que contou com a presença também da professora Graziela Del Monaco (Educação no Campo – UFSC), do representante do Ministério da Agricultura Francisco Powell e mediação do engenheiro agrônomo Francys Pacheco, do Cepagro.

100_1612

O Encontro começou com um ciclo de oficinas que trabalharam temas como adubação verde, compostagem e minhocários, produção de mudas e construção de espirais de ervas.

100_1600

100_1605

100_1596

100_1610

100_1594

Na mesa de abertura do evento estavam presentes o médico Leandro Pereira, representando a Secretaria Municipal de Saúde; o diretor-presidente do Cepagro Eduardo Daniel Rocha; Letícia Barbosa da organização Quintais de Floripa e o chefe do Departamento de Arquitetura da UFSC César Floriano.

????????????????????????????????????

Divididos em grupos, os participantes agregaram contribuições para a Carta do II Encontro Municipal de Agricultura Urbana, com diversas sugestões e demandas para incentivar e fortalecer a prática da agricultura nas cidades e assim contribuir para a requalificação urbana, o meio ambiente e a saúde. Como explica a socióloga Juliana Luiz, professora da FURB e uma das fundadoras da Rede Municipal de Agricultura Urbana, a Carta representa tanto “um texto político para os movimentos sociais se apropriarem quanto para orientar políticas públicas”.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Outro painel durante o evento foi sobre Espaços para Agricultura Urbana no Planejamento Urbano, com a presença do agrônomo Marcos José de Abru (Cepagro), do presidente da Comcap Marius Bagnati  e de representantes do IPUF e do Parque Municipal do Maciço do Morro da Cruz.

100_1633

Muitas trocas de mudas, sementes e experiências permearam todo o Encontro.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????