Arquivo da categoria: Publicações

Cartilha “Agroecologia: Saberes e Práticas” está disponível online

A publicação faz parte do projeto de Diversificação Agroecológica da Fumicultura executado pelo Cepagro junto a 100 famílias de agricultores nos municípios de Leoberto Leal, Major Gercino e Nova Trento com apoio do Fundo para Reconstituição de Bens Lesados do Ministério Público de Santa Catarina (FRBL/MPSC). O projeto é voltado para famílias que querem depender menos do cultivo de tabaco e também do uso de agrotóxicos e adubos químicos. A cartilha traz algumas técnicas trabalhadas nas oficinas e atividades do projeto, além de informações sobre as dinâmicas de organização e comercialização das famílias ligadas à Rede Ecovida de Agroecologia.

Clique na imagem para visualizar a publicação:

capa- cartilha

 

Para quem está em Florianópolis, é possível pegar um exemplar gratuito da cartilha na sede do Cepagro, que fica no Centro de Ciências Agrárias, no bairro Itacorubi. Leitores de outras localidades podem entrar em contato com a assessoria de comunicação da entidade através do email carudionisio@gmail.com.

Anúncios

Publicação aborda participação social na gestão dos resíduos orgânicos

Editada pelo Cepagro, a Cartilha “O passo a passo de uma Revolução: Compostagem e Agricultura Urbana na Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos” apresenta a perspectiva agronômica com participação social  no tratamento da fração orgânica do lixo urbano, que representa 50% em peso e é sistematicamente ignorada como matéria prima, causando sobrecarga e poluição em aterros sanitários.

Usando como fio condutor o caso da Revolução dos Baldinhos, a publicação é resultado de um projeto de pesquisa junto à FAPESC, lançando luzes ao conjunto de estratégias técnicas e de articulação social necessárias à consolidação deste novo paradigma frente a dispositivos viciados e ultrapassados nas políticas de saneamento.

Além de disponível na internet para download gratuito, o material impresso será lançado amanhã (18/05) em conjunto com o Manual de Replicação da Tecnologia Social em empreendimentos de habitação popular pelo país. Os lançamentos ocorrem na seqüencia de um painel de debates sobre a temática na Assembleia Legislativa de SC.

Clique na imagem para acessar a cartilha.

 

DSC_0235

 

Painel sobre resíduos sólidos urbanos e lançamento de publicações acontecem nesta quarta na Alesc

Na próxima quarta-feira (18/05), a partir das 14h, será realizado no Plenarinho da Alesc (Assembleia Legislativa de SC) o painel de debates com o tema “A compostagem comunitária na gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU).” Os debatedores serão o analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente Lúcio Costa, o professor do Centro de Ciências Agrárias da UFSC Rick Miller e o engenheiro agrônomo Antonio Storell Junior, coordenador de gestão de resíduos orgânicos da Prefeitura de São Paulo.

Após o painel, às 17h30, haverá o lançamento de 2 publicações editadas pelo Cepagro com a temática debatida: o Manual para replicação da Tecnologia Social da Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana em empreendimentos populares,  e a Cartilha “O passo a passo de uma Revolução”, que conta a história da Revolução dos Baldinhos à luz de reflexões sobre a importância de aproveitamento da fração orgânica dos RSU para a compostagem.

Entrada gratuita. Para o endereço da Alesc, clique aqui

cartaz-painel-ALESC-RSU-2016

Tecnologia Social da Revolução dos Baldinhos em manual para download gratuito

Está no ar para download gratuito o Manual da “Revolução dos Baldinhos – A Tecnologia Social da Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana”. O material servirá de apoio ao projeto “Moradia Urbana com Tecnologias Sociais” (MUTS), realizado pela Fundação Banco do Brasil (FBB), que replicará metodologias sócio-ambientais de base comunitária em empreendimentos de habitação popular pelo país afora.

Clique na imagem para acessar

CARTILHA-FBB-capa

O projeto estende-se a 22 estados, totalizando 83.248 unidades habitacionais e atingindo 330.000 pessoas. Dividido em 2 fases distintas, inicialmente o MUTS replicará em todos os empreendimentos a tecnologia social (TS) “Transformando realidades por meio da mobilização e organização comunitária”. Esta primeira fase objetiva empoderar os moradores por meio da educação financeira e do fortalecimento do diálogo com o poder público.

Numa segunda fase, cada empreendimento escolhe uma segunda TS entre quatro opções, entre as quais figura  a “Revolução dos Baldinhos-Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana”, integrante do Banco de Tecnologias Sociais da FBB.  Viabilizando todo o pacote de insumos e aporte técnico necessários à implementação da TS, a Fundação pretende que cada comunidade tenha contempladas suas necessidades e vocações na busca de soluções comuns.

 Nossa publicação de apoio discute a problemática do saneamento urbano, propondo a mudança de paradigma com a adoção de um olhar agronômico sobre a fração orgânica, valorizada como matéria prima para produção de adubo e desviada dos aterros sanitários. Os exemplos são extraídos de situações reais, em que a mobilização popular de uma comunidade esquecida pelo poder público em Florianópolis tornou-se protagonista de uma verdadeira revolução urbana de cunho sócio-ambiental, promotora de segurança alimentar e nutricional, saúde e qualidade de vida.
Com votos que a iniciativa se espalhe aos 4 ventos, desejamos que estas páginas inspirem e orientem  a sua livre replicação nos mais variados contextos urbanos.
coordenação de Comunicação | Cepagro

Assembleia Geral Ordinária do Cepagro

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Por este edital ficam convocados todos os associados do Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo – CEPAGRO, para a Assembleia Geral Ordinária a ser realizada às 18h00min horas, do dia 14/04/2016 na Rodovia Admar Gonzaga, 1346, Florianópolis – SC, para tratar das seguintes ordens do dia:

– Alteração Estatutária;

– Eleição e Posse de Diretoria Executiva, Conselho Fiscal e Consultivo.

Florianópolis, 04 de Abril de 2016

Erika Sagae (Diretora-Presidente / Cepagro)

Em matéria de capa no Diário Catarinense, Revolução dos Baldinhos revela morosidade do poder público na contrapartida para utilização de recursos

É sempre uma honra ter o reconhecimento da Revolução dos Baldinhos estampado numa capa de jornal de grande circulação e tiragem, como esta do Diário Catarinense de hoje (03/07/2015). Registramos nossos agradecimentos pelo espaço cedido e especialmente ao repórter fotográfico Guto Kuerten, que propôs e realizou a pauta.

Alguns esclarecimentos são necessários para melhor compreensão do assunto tratado:

– O convênio com a FAPESC citado na matéria é um projeto de pesquisa encabeçado pela UFSC, tendo COMCAP e FATMA como parceiras e o Cepagro como consultor. É um projeto com diversas contrapartidas científicas, como publicação de artigos em revistas e congressos, capítulos de livros e a produção editorial de 2 produtos de sistematização impressos, sendo um Boletim Técnico com parâmetros para pequenos pátios de compostagem (com dimensões para atender 73,8% dos municípios catarinenses, com população na faixa dos 20 mil habitantes e produção de 10 ton/dia de resíduos orgânicos), e uma Cartilha, agregada de um curto vídeo, para descrição e replicação do método utilizado na Comunidade Chico Mendes em outras organizações populares.

– Tal convênio prevê ainda um recurso de R$ 150 mil para aquisição de máquina carregadeira, obras de drenagem e cercamento de uma área de 5.000 m2 no Bairro Monte Cristo, visando a instalação de um pátio de compostagem, e não a compra da referida área, conforme erroneamente apontado pela reportagem. Para uso da verba há contrapartidas legais da administração pública, sendo que foram realizados o decreto de utilidade pública da área, de posse da multinacional Walmart, e alocação de verba na Lei Orçamentária Anual para a indenização decorrente do decreto, além de um documento anexo assinado pelo prefeito César Souza Junior com o aceite sobre a finalidade e a liberação deste recurso. A partir deste ponto, no entanto, não observou-se qualquer ato concludente dos trâmites, cujo desfecho corre sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento Ambiental e da COMCAP.

– É lamentável a morosidade dos entes públicos em dar encaminhamentos à questão, resultando em sucessivas prorrogações e agora na iminência de expirar o prazo para uso da verba negociada junto à FAPESC. Seria uma perda imensurável para uma comunidade historicamente assolada por problemas diversos e que, não obstante sua baixa envergadura no ranking dos indicadores sociais, tem provado ao município, ao país e ao mundo que é possível uma abordagem ecológica e descentralizada para o tratamento dos resíduos sólidos urbanos. Cabe aqui esclarecer que não recai sobre a FAPESC qualquer impedimento ao acesso à referida verba, tendo inclusive flexibilizado prazos para o cumprimento de trâmites, mas que em sua conduta regimental estabelece regras para a correta e transparente aplicação dos recursos públicos, sendo clara a respeito de ônus decorrentes de intempestividades contratuais.

– A Revolução dos Baldinhos não é um projeto de “coleta de lixo”, mas, de fato, uma Tecnologia Social para segregação dos resíduos orgânicos na fonte geradora, contando com a permanente sensibilização das famílias envolvidas, visando uma excelente matéria-prima que é coletada e manejada pela própria comunidade, e que retorna em fertilidade nos solos locais promovendo a Agricultura Urbana e a conseqüente Segurança Alimentar e Nutricional, além de excedentes de adubo cuja comercialização e renda serão operadas por uma associação comunitária em fase de criação.

– O projeto existe há 7 anos e sobrevive graças a prêmios e editais conquistados pelo Cepagro, sempre com o apoio do grupo comunitário e das organizações locais, garantindo o pagamento da equipe fixa de trabalho e as articulações em torno da aceitação e permanência da prática da compostagem em uma área de uso público (no atual momento, o pátio da Escola América Dutra Machado). Neste período, o engajamento dos poderes públicos locais foi praticamente nulo, provocando sérias limitações às iniciativas comunitárias, que ainda assim mantém resultados perfeitamente visíveis e mensuráveis, inspirando, entre outros processos, a replicação em condomínios de habitação popular Brasil afora.

– Apesar de estar cada vez mais incorporada ao discurso de gestores públicos locais, é preocupante que iniciativas como a Revolução dos Baldinhos e outras que se espalham pelo município ainda careçam de regulamentações públicas específicas, como a urgência do acesso ao Fundo Municipal de Saneamento para pagamento pelos serviços de limpeza realizados pelo grupo comunitário, e a criação de áreas urbanas adequadas em tamanho e instalações para a efetiva implementação de pátios de compostagem descentralizados, sob pena do desaparecimento destes projetos que em muito contribuem para a economia de recursos e a promoção da qualidade ambiental na cidade.

Fernando Angeoletto – Coordenador de Comunicação (Cepagro)

Marcos José de Abreu – Coordenador urbano (Cepagro) e presidente do CONSEA/SC

clique na imagem para ler a matéria na íntegra

Captura de tela 2015-07-03 às 10.18.15

Reportagem reforça crescimento da compostagem e hortas urbanas em Florianópolis

No último domingo, uma extensa reportagem do jornal Notícias do Dia (Florianópolis) destacou um fenômeno urbano em expansão: o surgimento de cultivos em terrenos públicos e privados da cidade.

Além disto, mostrou como os gestores públicos estão incorporando o discurso da ciclagem de nutrientes (compostagem) para geração de fertilidade e fomento à agricultura urbana, abandonando a prática equivocada de jogar resíduos orgânicos no aterro sanitário.

Clique na imagem para ler na íntegra.

Captura de tela 2015-06-30 às 11.31.56