Cepagro leva metodologia de Hortas Escolares para estudantes e educadores no bairro Armação

O último sábado, 9 de novembro, foi dia de compartilhar um pouco da experiência com as hortas escolares. O Cepagro, em parceria com o curso de Educação do Campo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), realizou uma formação sobre Hortas Educativas e Agroecológicas na escola Dilma Lúcia dos Santos, no bairro Armação. O curso contou com a presença de professores e professoras da escola e da Educação do Campo, além de estudantes e educadores interessados no tema.

Ao longo do dia, a agrônoma Karina Smania de Lorenzi apresentou a metodologia desenvolvida pelo Cepagro para trabalhar a horta pedagógica, aliando esse espaço com os conteúdos do currículo escolar. O curso foi divido em dois momentos e iniciou com uma explicação mais teórica no período da manhã. Karina trouxe o conceito de Agroecologia e do que é uma horta agroecológica. Falou também sobre os três eixos da horta escolar: gestão de resíduos e compostagem, horta educativa e agroecológica e segurança alimentar e nutricional.

Na horta escolar, que constitui um laboratório vivo para os/as alunos/as, os três eixos são abordados ao longo de todo o ano letivo, aliando sempre o calendário agrícola com o escolar. Karina falou ainda sobre como trabalhar a interdisciplinaridade com as hortas escolares, como envolver cada disciplina e quais as atividades possíveis de serem feitas pelos/as próprios professores/as.

O período da tarde foi voltado para as atividades práticas. Juntos, educadores/as e estudantes aprenderam a construir uma composteira didática em garrafas, ótima para a apresentar a gestão de resíduos orgânicos para as crianças. Como o dia foi de chuva, a turma aprendeu a construir uma horta agroecológica em caixas de feira. Também aprenderam a fazer produção de cogumelos shimeji, uma atividade possível de fazer em sala de aula e assim trabalhar a alimentação saudável.

Karina conta que através das atividades realizadas, os participantes puderam refletir as inúmeras possibilidades de integrar diferentes conteúdos e tornar um projeto de hortas escolares interdisciplinar. “Os participantes estavam muito integrados e foi um rico momento de compartilhar conhecimentos e refletir como a Agroecologia pode se inserir e transformar a escola e a comunidade escolar”, conta a agrônoma.

Para Fernanda Katharine de Souza Lins Borba, professora de ciências da Escola Dilma Lúcia dos Santos, o curso “foi uma grande oportunidade de reciclar conhecimentos e aprender novas técnicas agroecológicas que podem ser utilizadas no processo de ensino-aprendizagem”.

A metodologia das hortas escolares desenvolvida pelo Cepagro ao longo de mais de 10 anos de experiência com o tema foi reunida no Guia de Atividades: Educando com a Horta. O livro traz conteúdos e exemplos de atividades que podem ser feitas por educadores e assim trabalhar a educação ambiental e alimentar  nas escolas. Para que o Guia possa ser publicado nós lançamos uma campanha de financiamento coletivo disponível em benfeitoria.com/guiaeducandocomahorta.

A campanha vai até o dia 22 de novembro e está funcionando como uma pré-venda do livro. Acesse, veja as recompensas, faça a sua contribuição e ajude a levar as hortas pedagógicas para mais escolas do Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s