O mapa da fome mudou, e garantir qualidade dos alimentos é a meta da vez

Na investigação suplementar da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domícilios / IBGE) de 2013, com metodologia similar e dados comparativos aos anos de 2004 e 2009, o Brasil registrou um acréscimo nos domícilios com segurança alimentar, passando de 65,1 para 77,4%. Ao mesmo tempo, os dados de insegurança alimentar moderada e grave caíram, respectivamente, de 9,9 para 4,6% e de 6,9 para 3,2%, enquanto a insegurança alimentar leve manteve-se praticamente estável.

O Estado de Santa Catarina registra uma das melhores médias de segurança alimentar nacionais, com 88,9%, ficando em segundo lugar (atrás apenas do Espírito Santo.)

Em entrevista à Globo News, o coordenador-urbano do Cepagro e presidente do CONSEA/SC (Conselho Estadual de Segurança Alimentar) comenta quais políticas públicas tornaram possíveis estes números, embora alerte para uma maior preocupação com a qualidade dos alimentos que chegam à população, numa luta permanente contra os transgênicos e agrotóxicos.

Clique na imagem para ver a reportagem na íntegra.

Captura de tela 2014-12-23 às 12.55.30

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s